Psicologia infantil – O que pode e o que não pode?

É fundamental que o pai e a mãe entrem em acordo sobre o que pode e o que não pode na educação dos filhos. Quando isso não acontece, a criança entende que existe sempre um adulto mais fácil de convencer para conseguir o que quer. Isso gera inconsistência nas regras e indisciplina. Portanto, o diálogo entre pai e mãe é muito importante para que as divergências sejam debatidas e para que se possa chegar num consenso.

Psicologia infantil – O comportamento do seu filho manipula você?

Alguns comportamentos dos filhos existem por causa da reação dos pais. Ignore comportamentos que visam manipular você, como agir como se tivesse menos idade, birras ou reclamar por tudo. No entanto, nunca ignore comportamentos como deixar de fazer uma tarefa, cumprir um dever ou provocar algum tipo de prejuízo, como por exemplo não fazer a lição de casa, não cuidar da higiene pessoal ou bater em alguém.

Psicologia infantil – As regras não devem mudar de acordo com o seu humor

Seja consistente e coerente nas regras que estabelece ao seu filho. De nada adianta firmar uma regra e cumpri-la de vez em quando dependendo do seu estado de humor. Agindo assim, a criança aprende a discriminar o seu humor e não o que é certo ou errado. Ela pensa: “hoje pode porque a minha mãe está boazinha” e no outro dia “ é melhor se esconder e esperar até que o humor melhore”.

Psicologia infantil – Você sabe elogiar seu filho?

Quando for elogiar seu filho, seja explícito e objetivo naquilo que você diz. Ao invés de dizer: “você é maravilhoso!”, diga: “isso que você fez foi muito bom e me surpreendeu!”. Agindo assim, a criança sabe exatamente no que está acertando e as chances de fazer novamente aumentam.

Psicologia infantil – Ameaças não resolvem

O comportamento da criança não se modifica através de ameaças. Ela só irá obedecer se souber que o que está sendo advertido será seguido por consequências. Mas, atenção! As consequências devem ser de curto prazo pois, do contrário, podem cair no esquecimento e fazer a criança não acreditar mais no que você diz.

Psicologia infantil – Gritar não adianta

Não é preciso fazer cara feia ou gritar para se fazer cumprir uma regra. Até mesmo uma tarefa pouco agradável pode se tornar gostosa dependendo da abordagem que você usa com o seu filho. Você pode combinar com a criança alguma coisa para fazerem juntos após a realização de uma tarefa, além de elogiá-la por seu esforço e boa conduta.

Psicologia infantil – Agora chega!

Não deixe que seu filho repita diversas vezes um comportamento inadequado para que você diga: “agora chega!”.
Quando um comportamento é inadequado ou a criança descumpre uma regra é importante adverti-la imediatamente. Diga “eu gosto muito de você, mas não gostei do que você fez”. A ênfase na correção deve ser dada ao comportamento, pois a garantia do seu amor por ela deve prevalecer.

Psicologia infantil – Ensine a compartilhar

As crianças precisam aprender a compartilhar as coisas. Mas nem sempre isso é fácil. Que tal deixar que seu filho perceba que você compartilha algo seu com ele e que também faz isso com outras pessoas? Bons exemplos ensinam muito mais do que simplesmente falar.

Pular para a barra de ferramentas