Psicologia infantil – 8 dicas para ajudar na hora da tarefa escolar

Algumas crianças, desde cedo, tornam-se bastante independentes para fazer as tarefas da escola e os pais nem precisam se preocupar com isso. Mas outras, mais crescidinhas, precisam de um “empurrão” para se tornarem responsáveis e autônomas.  Os pais podem colaborar para esse amadurecimento através de algumas condutas:

  • Escolha um lugar apropriado para fazer a lição, longe de estímulos que possam distrair a criança. Deixe somente o material que precisa na mesa.
  • Inicialmente, fique próximo ao seu filho, fazendo alguma atividade, como por exemplo, uma leitura, para que ele perceba que você também está realizando uma “tarefa”. Essa conduta mostra sua disponibilidade em ajudá-lo.
  • Certifique-se que a criança entendeu o que é para fazer. Incentive-a a ler o enunciado e, não havendo compreensão, solicite uma releitura. Caso ainda não tenha entendido, dê-lhe a instrução.
  • Algumas crianças que não conseguem manter a atenção por muito tempo podem se sentir mais motivadas quando as atividades são divididas em etapas mais curtas. Por exemplo: “faça essa parte e venha me mostrar como fez”. É importante que a criança perceba que
    está sendo supervisionada, evitando desenvolver a dependência dos pais.
  • Deixe a criança saber o que você espera dela de forma bem objetiva. Ex: “faça aquela letra bonita que você já me mostrou” ou “procure enumerar os cálculos para ficarem bem organizados”. Elogie o seu esforço.
  • Pequenas pausas podem ser necessárias (tomar água, ir ao banheiro, etc).
  • Após a tarefa realizada, a criança deve ser ensinada a conferir se nada ficou para trás e organizar seus materiais na mochila.
  • Combine algo que a criança gosta (consequência) para fazer após a tarefa realizada, como por exemplo, um tempo na TV ou brincar com os colegas.

Essas práticas, feitas regularmente e com persistência, irão ajudar o seu filho a desenvolver mais responsabilidade e autonomia nas tarefas escolares. Mesmo que você já não se lembre de todos os conteúdos é importante demonstrar interesse naquilo que ele está aprendendo. Caso você não consiga, por alguma razão, acompanhar a tarefa escolar do seu filho é importante reservar um tempo junto com a criança para olhar seus cadernos, ver o que está aprendendo, ou seja, se interessar pelas coisas que ela está vivendo na escola. Faça isso de uma forma bem espontânea e não visando fiscalização. Saiba que isso também é demonstração de afeto!

A hora da tarefa é um momento valioso para você identificar facilidades e dificuldades em seu filho. Se você percebe que ele tem muita dificuldade, converse com o(a) professor(a) e, se necessário, procure um profissional de psicopedagogia para lhe orientar ou fazer uma avaliação.

Psicologia infantil – Quando chega um novo bebê na família

Na grande maioria das vezes, dividir os pais com um novo bebê traz alguns ressentimentos nas crianças menores. Elas podem se sentir confusas e não saber como expressar seus sentimentos, mesmo que já saibam se comunicar bem.

É importante que os pais ajudem a criança nessa situação, dizendo “Algumas vezes, o bebê será muito bonzinho, mas outras vezes, vai chorar e precisará da atenção da mamãe/papai”. Dar a segurança de que ela pode contar aos pais quando se sentir de lado e com ciúme, também é um bom caminho, pois ficará mais fácil saber o que eles devem fazer para ela se sentir melhor.

É muito importante que os pais expressem que com a chegada do bebê, o mais velho não será substituído. Quanto mais segura a criança estiver do amor dos pais, menor serão as possibilidades de sentir ciúme. É esperado um retrocesso temporário da criança mais velha a um comportamento de bebê, como querer chupar chupeta, escapar o xixi, querer mamar no peito e ficar mais agarrada ou chorona. É preciso ter muita paciência e tolerância, pois é uma fase que irá passar e ela faz isso porque mais uma vez necessita de atenção e da segurança do amor dos pais.

Mais 5 dicas…

1) Mudanças na rotina da criança devem ser feitas antes do bebê nascer. Ex: entrada na escolinha ou retirada do berço. Essas mudanças devem ser feitas como se fossem promoção e não como um deslocamento.

2)A criança deve ser incentivada a participar dos preparativos para a chegada do bebê, como ajudar a arrumar o quartinho, roupas e brinquedos.

3) É legal a estratégia de comprar um presente para o mais velho dar ao bebê e outro que o bebê irá trazer para ele.  Leve os presentes ao hospital para serem entregues assim que os irmãos forem apresentados.

4) Após a chegada do bebê, a criança mais velha precisa ter, algumas vezes, momentos só com a mãe e com o pai.

5) Permita que a criança ajude nos cuidados com o bebê para que ela sinta que ele é seu também. Ex: banho, escolher uma roupinha ou empurrar o carrinho.

Enfim, é muito importante ter a compreensão que, nessa fase inicial, o sentimento de ciúme pode vir com mais intensidade e é preciso ter paciência, pois logo a criança irá se habituar com o novo membro da família e irá criar um vínculo bastante forte com ele. Pode apostar!

Pular para a barra de ferramentas